quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Ser criança

Eu era feliz, com o pouco é o muito que tinha. A minha infância foi perfeita, eu realmente fui criança.

Soltei pipa, joguei bola, pique esconde e outras histórias. Subia nas fruteiras, bem junto aos passarinhos, desbravava tudo, em um mundo pequenino. O meu mundo era pequeno, mas apenas em tamanho, pois ao fechar os olhos, eu enxergava com o coração, e o infinito.

Imaginem o que eu criei. Transformei tudo que podia e assim me diverti. Fiz espadas com madeiras, carrinhos com latinhas.  Sujava as mãos na terra. Brincava com tudo que pudesse fazer a imaginação fluir. Eu brinquei muito...

Eu só cresci quando tive que crescer, aproveitei toda a minha infância. E por isso, nesse dia importante, que lembremos o qual importante são esses anos iniciais da vida. Deixemos nossas crianças serem crianças, pois a infância é a mais importante parte da vida, assim também como é a menor. Seremos adultos pelo resto da vida, e por isso, desejo sinceramente bem mais de uma década de aventuras inesquecíveis para todas as crianças. Que esse tempo nunca se apague da memória e que transforme toda a vida ao redor.

Por uma infância feliz, com muitas travessuras e lembranças inesquecíveis...

Feliz dia das Crianças.

Sidnei Coelho


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Mundo perfeito.

Mundo perfeito.

Todos nós temos o nosso lado criança, é uma parte que sobreviveu aos anos que nos tornaram adultos, no entanto, mesmo "grandes", ainda é possível encontrar um pouco daquilo que fomos e reviver muitas daquelas emoções que aconteceram em um tempo não muito distante.

O tempo passa, alguns até se esquecem de tudo, mas é certo que ainda podemos sorrir, sonhar, gargalhar e principalmente brincar... 

O que mudou foi o nosso tamanho e as nossas responsabilidades, mesmo assim, não deixe que os anos apaguem as lindas histórias de crianças e, se possível, que ainda possamos brincar e relembrar um pouco da inocência de um mundo perfeito, aquele que as vezes deixamos para traz por acreditarmos que o mundo dos adultos era melhor.

Por uma vida feliz...

Sidnei Coelho

Visão Invisível

Marina Alexiou - direto de Portugal:

Estamos num quarto, mas este quarto é diferente dos quartos onde vivemos. É um quarto onde se vive e não se vive. Um quarto que pensamos. Como podeis ver, os objetos gozam aqui de uma liberdade muito curiosa e vivem melhor do que nos quartos onde realmente vivemos.

....Quero eu dizer que o quarto onde vos encontrais é um quarto habitado por alguém que dorme, e cheio de um outro mundo diferente do que existe nos quartos onde os objetos dormem.

....Os adormecidos são nadadores que não têm alto nem baixo. Afastam-se de nós imóveis, e tão depressa que a sua velocidade bate a dos peixes cegos de oceanos profundos; e o quarto da donzela Ursula é um verdadeiro quarto e um falso quarto, uma das cenas do teatro do sonho onde um drama se desenrola como acontece no sonho, onde o tempo se enreda, onde a adormecida que sonha precede, com toda a sua velocidade de nadadora imóvel, a vida lenta.

Enviado por Marina Alexiou Portugal: trechos de autoria de Jean Cocteau, do livro: Visão Invisível, ed. Sistema Solar, Lisboa, 2016 - p.63-64.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Marina Alexiou - Portugal - A Clareira

"A história continua a ser formada dos pequeninos fragmentos e retalhos dos momentos audaciosos que insistentemente se impõem, apesar de todos os riscos e desprezos.
A clareira é percebida ao longe. E, na distância, tudo parece mais distante....Mas a carroça se move, até chegar...."

Texto enviado pelo intercambio Brasil/Portugal

Marina Alexiou
Mestre em Filosofia pela PUC/SP
Escreve prosas poéticas

Marina Alexiou - Portugal - Face Perdida

Com um olho semi aberto ela tenta encontrar a sua face perdida que, embora triste, quase a alcança, num beijo...
Juntos no mesmo corpo, eles se confundem e fingem que a fantasia que ora vestem é apenas brincadeira e, então,
Ela cola o seu rosto no dele e sussurrra um pedido, um encontro, uma paixão.
Do seu olhar emergem lembranças tão íntimas que ela não sonharia adivinhar e, vibra nele o desejo de continuar encenando o seu papel, ali, colado a ela, sem precisar desvia-lo nunca mais...
Como me esconder de você se somos apenas um? ela diz.
Os olhos abertos procuram o desejo e os outros, fechados, sonham, distantes sem se dar conta da melancolia e das dúvidas do seu amado, que tem os seus lábios ainda presos aos dela.
Com um movimento delicado ela inclinará a cabeça, como que para descansar em seu ombro.
E o beijo, este, é eterno....


Texto enviado pelo intercambio Brasil/Portugal

Marina Alexiou
Mestre em Filosofia pela PUC/SP
Escreve prosas poéticas

O mundo dos sonhos

Há um lugar escondido dentro de nós, um paraíso onde podemos contemplar o que se foi e o que será.

Realidade e fantasia vivem lado a lado nesse mundo, além de fortes emoções...

Do outro lado é bem mais amplo, mesmo que tudo pareça durar apenas um segundo.  Nos sonhos tudo se transforma, e as possibilidades são infinitas.

Os sonhos e as lembranças são as únicas formas de olharmos através do tempo... o passado o futuro se fazem presentes aos nossos olhos.

Enquanto houverem sonhos, permanecerá a esperança de uma vida feliz.

Encontre o seu mundo...

Sidnei Coelho

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Renove-se

Renove-se, pois desistir também faz parte da vida

Existirão momentos em que precisaremos nos livrar de certas coisas. Desistir não é sinal de fraqueza, é apenas uma forma de dizermos a nós mesmos que aquilo não nos interessa mais. Para ser mais sincero, desistir é até necessário, devemos perder o interesse por tudo aquilo que não nos faz bem. Seja em planejamentos profissionais e também na vida pessoal, em ambos os casos sempre haverá uma página que precisará ser virada, pois somente assim descobriremos o que existe na página seguinte.

Mude, adapte-se e livre-se daquilo que não te faz bem. É preciso estar atento para sabermos até aonde deve ir a nossa persistência.

Por uma vida renovada...

Sidnei Coelho